Educação Assistida por Animais

Os benefícios do convívio com animais na primeira infância já é um ponto consolidado pelos estudos relacionados a essa faixa etária. Tendo isso em mente, o Céu de Brasília possui o projeto permanente de Atividades Assistidas por Animais (AAA).

 

Define-se AAA como interações informais por meio de visitas realizadas em instituições educacionais ou de saúde, com fins motivacionais, educacionais e recreativos. Vários estudos publicados apontam para os efeitos positivos dessa abordagem: diminuição da ansiedade, facilitador no estabelecimento de vínculos afetivos, socialização, comunicação, aprendizagem e desenvolvimento físico.

 

Aqui na escola, recebemos, semanalmente, a visita da Killi, uma cachorrinha de 7 anos da raça Schipperke (porte pequeno), muito dócil e adestrada, que é coeducadora nas atividades de Educação Assistida por Animais (EAA).

A EAA é um tipo de Intervenção Assistida por Animais (IAA), sendo considerada por Petenucci (2016, p. 298) como:

 

[…] uma ação pedagógica ampla que envolve a utilização de animais em todo cenário educacional e com diversos públicos. Ela pode utilizar cães, cavalos e outros animais no atendimento de crianças com ou sem necessidades especiais, na pedagogia hospitalar ou na andragogia – área da educação que se ocupa do processo ensino-aprendizagem de adultos. A EAA visa difundir a utilização dos animais como recursos pedagógicos. Sendo assim, ela é a utilização dos animais nas interações pedagógicas, em um cenário educacional que pode ser dentro ou fora da escola e pode ser voltada para todas as idades.

 

A EAA está contida nas IAA’s, de acordo com Petenucci (2016), todavia, na medida em que, mais atividades com caráter eminentemente pedagógico e educativo vão sendo realizadas, a EAA começa a ser separada da TAA e da AAA, visto que ela passa a ter respaldo teórico e metodológico das abordagens que orientam a sua prática. As atividades envolvendo animais permitem ganhos significativos imediatos, tanto no que diz respeito à interação, ao interesse e a quebra de barreiras e dificuldades para aprender ou ler, por exemplo. O objetivo principal da EAA, como destacam Abrahão e Carvalho (2015, p. 1): “é promover a aprendizagem estimulando o desenvolvimento psicomotor e psicossocial”.

 

REFERÊNCIAS

 

ABRAHÃO, F.; CARVALHO, M. C. Educação Assistida por Animais como recurso pedagógico na educação regular especial – uma revisão bibliográfica. Revista Científica Digital da FAETEC, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, 2015. Disponível em: http://www.faeterj-caxias.net/revista/index.php/edutec/index

 

BORBA, J. M. P. Contribuições da educação assistida por animais – EAA para a psicologia da educação: uma análise fenomenológica. Revista de Geografia e Interdisciplinaridade, Maranhão, v. 3, n. 11, 2017. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/interespaco/article/viewFile/6088/5127

PETENUCCI, A. L. Educação assistida por animais. In: CHELINI, M. O. M.; OTTA, E. Terapia Assistida por Animais. Barueri, SP: Manole, 2016.